Estudos e Projetos

 
CONSULTORIA ESTUDOS ESTRATÉGICOS E POLÍTICAS

IMPLEMENTAÇÃO DA CITES PARA ESPÉCIES MADEIREIRAS E TRANSPARÊNCIA DE MERCADO / COMÉRCIO PARA A ITTO

Apoio na coordenação de Programa Internacional na América Latina – Programa ITTO-CITES que foi implementado pela Organização Internacional de Madeiras Tropicais (OIMT), em colaboração com a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES) – Fase I (2008-2011) e Fase II (2012-2016).

O Programa teve como foco na América Latina espécies nobres como mogno (Swietenia macrophylla), cedro (Cedrela odorata), pau-santo (Bulnesia sarmientoi), jacarandá (Aniba rosaeodora) e pau-rosa (Dalbergia). Este Programa foi implementado através de projetos propostos por atores dos 5 países envolvidos, principais exportadores de produtos madeireiros provenientes dessas espécies nativas, incluindo Bolívia, Brasil, Guatemala, Guiana e Peru. Como parte da coordenação, os consultores da STCP participaram na avaliação e monitoramento desses projetos nos países que fazem parte do Programa.

cedrorana-para-2014

Espécie cedroarana (Cedrelinga catenaeformis), Redenção, Pará, Brasil (2014)

dalbergia-na-guatemala-2015

Sofia Hirakuri em avaliação do Projeto de Dalbergia na Guatemala (2015)

mogno-para-2014

Mogno (Swietenia macrophylla), Redenção, Pará, Brasil (2014)

dalbergia-guatemala-2015

Dalbergia spp. na Guatemala (2015) – Espécie listada no Apêndice II da CITES

 

 
CONSULTORIA ESTUDOS ESTRATÉGICOS E POLÍTICAS

Reformulação da Política Estadual de Florestas e Elaboração do Plano Estadual de Florestas no Estado do Tocantins

Desenvolvimento de estudos de Reformulação da Política Estadual de Florestas e Elaboração do Plano Estadual de Florestas do Tocantins para SEMADES (Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Tocantins), no âmbito do Projeto Cerrado Sustentável do Tocantins (GEF CERRADO).

O estudo visou a reformulação da Legislação Florestal do Estado do Tocantins, a qual, em conjunto com o PEF/TO, estabelece sob o viés do desenvolvimento sustentável, objetivos estratégicos e ações voltadas para o desenvolvimento do setor florestal no Estado, como um dos principais vetores de crescimento econômico e social, considerando a conservação ambiental.

pef-tocantins1

pef-tocantins2

 
CONSULTORIA ESTUDOS ESTRATÉGICOS E POLÍTICAS

Elaboração de Programa De Desenvolvimento Florestal Sustentável de Mato Grosso (PDFS/MT)

Elaboração do Programa de Desenvolvimento Florestal Sustentável de Mato Grosso (PDFS/MT), junto ao CIPEM (Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso) e SICME (Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia de Mato Grosso).

O objetivo do PDFS/MT é o desenvolvimento sustentável do setor florestal, incluindo florestas nativas e plantadas, de Mato Grosso. A estratégia adotada teve como base 2 eixos principais: (i) ampliação da oferta de matéria-prima florestal sustentável, e (ii) agregação de valor a produção florestal. Um dos principais aspectos foi definição da cadeia florestal para a melhoria do negócio florestal e a recuperação da participação do setor no ranking da economia do estado de Mato Grosso. Uma das metas principais foi o envolvimento de todos os atores no processo, tanto de florestas nativas como de plantadas, para que o PDFS estivesse alinhado com os interesses e necessidades do Estado.

Com a implantação do Programa, o Mato Grosso estabelecerá um setor florestal de maior escala, competitivo, gerando bons impactos econômicos, sociais e ambientais.

pdfs-mt1

pdfs-mt2

 

 
CONSULTORIA ESTUDOS ESTRATÉGICOS E POLÍTICAS

PLANO ESTRATÉGICO PARA MELHORAR A COMPETITIVIDADE DO SETOR FLORESTAL DO PARAGUAI

Foi desenvolvido um plano estratégico para melhorar a competitividade do setor florestal do Paraguai para apoiar a definição de políticas e outras ações de autoridades governamentais. O Plano Estratégico pode contribuir para a criação de condições para facilitar a atração de investimentos privados, nacionais e internacionais, em projetos florestais competitivos e sustentáveis. As áreas prioritárias identificadas e analisadas para a intervenção foram definidos com base no diagnóstico que incluem fortalecimento institucional, sustentabilidade na oferta de matéria prima, indústria florestal sustentável e competitiva, produtos florestais para exportação, atração de investidores, juntamente com as linhas de ação.

As macro metas do Plano Estratégico estão vinculadas a um aumento da oferta de madeira de fontes sustentáveis e a expansão e modernização da indústria florestal. O resultado mostra que é necessário implantar, em 15 anos, cerca de 500.000 hectares de plantações florestais e expandir as áreas de manejo sustentável de florestas nativas para 1-2 milhões de ha. Esta base florestal terá capacidade de produção sustentável de 15-20 milhões de m3/ano, um volume compatível com a demanda de madeira industrial, lenha e carvão vegetal nos anos 2030-2040. Na área industrial, é importante atrair empresas âncoras, especialmente empresas envolvidas na produção de painéis reconstituídos e celulose. Foi estimado que serão necessários cerca de US$ 5,5 milhões para a implementação do Plano Estratégico nos primeiros 3 anos.