Notícias

26 de Março de 2018
 

STCP e Semarh assinam ordem de serviço para estudos de recuperação de sub-bacias do rio Jacarecica

O governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), assinou na manhã desta quarta-feira (14), a ordem de serviço para estudos e diagnóstico de três sub-bacias do rio Jacarecica, afluente do rio Sergipe.

A autorização para os serviços foi assinada pelo gestor da Semarh, Olivier Chagas, e pelos representantes do consórcio Nipon STCP, vencedor do processo licitatório. O investimento é superior a R$ 700 mil, fruto do Programa Águas de Sergipe, em parceria com o Banco Mundial.

De acordo com Olivier, o projeto visa identificar onde tem nascentes e o que fazer para que elas voltem a produzir água novamente, culminando com a recuperação da bacia hidrográfica do rio Sergipe e na melhoria da capacidade de utilização dos recursos hídricos existentes.

“A água é um recurso natural de extrema importância para a sobrevivência do homem. Vamos fazer o diagnóstico para a recuperação de nascentes e olhos d’água. Esse trabalho culmina com a produção de projetos que poderão ser imediatamente implementados numa futura ação. Nesse sentido, o governo do Estado dá um passo significativo para a recuperação dessas nascentes para que não falte água no futuro. É uma ação importante e que precisa ser ampliada”, afirma Olivier Chagas.

A coordenadora técnica do consórcio Nipon STCP, Danielle Staut, explica que as sub-bacias [Mata Verde, Cajueiro dos Veados e do rio Dangra] estão situadas na região Agreste, no entorno do município de Malhador, e que, além da caracterização dessas nascentes, o projeto informará como essas nascentes se encontram. “Vai gerar um conhecimento para ser aplicado nas propriedades não só pelo Estado. É uma ferramenta de recuperação das áreas e da nossa qualidade hídrica como um todo. O benefício é conjunto”.

O coordenador da Unidade de Administração do Programa Águas de Sergipe (Uapas), Everton Teixeira, destacou que o Governo ou até mesmo um produtor rural poderão utilizar o projeto para recuperar áreas onde tenham nascentes. “No futuro, inclusive, numa ação do Banco Mundial que aloque recursos, já teremos toda uma ferramenta pronta para ser executada”.

Presenças

Também acompanharam o ato os gestores das Superintendências de Recursos Hídricos e de Biodiversidade e Floresta da Semarh, Aílton Rocha e Elísio Marinho, respectivamente; o diretor do Departamento Financeiro da Semarh, Marcelo Barberino; além de representantes da Emdagro e do consórcio Nipon STCP.

Fonte: Semarh

Foto: Lucas Noronha/Semarh

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *